PF faz buscas no Ministério do Turismo e pede prisão de acusados

PF faz buscas no Ministério do Turismo e pede prisão de acusados

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (26) a Operação Lavat, que faz buscas no ministério do Turismo em Brasília. A ação é um desmembramento do Operação Manus, que deflagrada em junho deste ano e que levou o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para a prisão. A Justiça de Natal determinou a prisão temporária de três pessoas ligadas a Henrique Alves. Os alvos são Aluísio Dutra de Almeida e Norton Domingues Massera, que foram assessores do ex-ministro, além de José Geraldo Moura Júnior.

Cerca de 110 policiais federais cumprem 27 mandados judiciais, sendo 22 de busca e apreensão, três de prisão temporária e dois de condução coercitiva nas cidades de Natal, Parnamirim, Nísia Floresta, São José do Mipibu, Angicos, todas no Rio Grande do Norte, e Brasília.


Segundo a PF, na análise do material apreendido "foram identificadas fortes evidências quanto à atuação de outras pessoas pertencentes a uma organização criminosa, que continuou praticando crimes de lavagem de dinheiro e ocultação de valores para o chefe do grupo".


A PF identificou que o esquema criminoso que fraudava licitações em diversos municípios do Rio Grande do Norte para obter contratos públicos, que somados alcançam cerca de R$ 5,5 milhões.


O dinheiro foi usado para abastecer a campanha de Henrique Alves ao governo do Estado de 2014. Ele disputou o pleito com o atual governador Robinson Faria e perdeu. O nome da operação é referência ao provérbio latino “Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat”, cujo significado é: uma mão esfrega a outra; uma mão lava a outra.

Fonte:ORM


Deixe seu comentário:

Patrocinador