Torcida do Braga fica eufórica e o time cauteloso

DuReis Oliveira

Ao fim do jogo de ontem ficou difícil sair do Diogão, em Bragança. Com a torcida em festa pela vitória de 2 a 0 sobre o Paysandu, o engarrafamento em frente ao estádio era grande. A euforia da torcida contrastava com as declarações dos jogadores, que preferiram a cautela a despeito da boa vantagem conquistada para a partida de volta da semifinal do Campeonato Paraense. “Temos que ter inteligência e jogar da mesma forma que fizemos aqui”, disse o atacante Pecel.

O volante Paulo de Tárcio reconheceu que o time já teve apresentações melhores, mas que soube manter a intensidade. “Já tivemos jogos melhores tecnicamente, mas jogamos com muita determinação e tivemos vontade do começo ao fim”, disse. “Vamos com essa vantagem para o jogo de volta e ela é importante, mas não ganhamos nada ainda. Temos que manter a mesma pegada”, completou.

Artur Oliveira admitiu que, após um começo mais equilibrado, seus comandados souberam superar o adversário na metade final do jogo. “Não sei o que vai acontecer no outro jogo, mas nesse conseguimos fazer um segundo tempo espetacular. O placar de 2 a 0 foi pouco para o que criamos”.

O Rei Arthur falou sobre a impossibilidade de utilizar os três jogadores emprestados pelo Papão, o goleiro Paulo Ricardo, o meia Alan Calbergue e o atacante Aslen. “Acharam que iam nos enfraquecer, mas estamos cada dia mais fortes. Crescemos nas dificuldades”, avisou.

(Tylon Maués/Diário do Pará)

  • Compartilhe:
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Comentário

    Relacionados